sexta-feira , 23 Fevereiro 2018
Capa > Empresas & Negócios > Os maiores erros cometidos por empresas nas mídias sociais

Os maiores erros cometidos por empresas nas mídias sociais

É preciso ter uma estratégia muito bem definida para cada rede social e conhecer o seu público  

Com crescimento exponencial das mídias sociais, elas passaram a ser consideradas como um espaço de comunicação também das empresas com seus clientes, no entanto, muitas organizações cometem erros por não conhecerem bem como funciona o universo online e, sobretudo, por não possuírem um planejamento de comunicação estratégico.

Em função das facilidades apresentadas pelos meios tecnológicos, muitas empresas decidem realizar a gestão de suas mídias digitais de forma amadora, acreditando ser algo simples e que não requer nenhuma especialização. Esse é o primeiro erro que elas cometem, pois, apesar de ser algo aparentemente simples, comunicar por meio das mídias sociais exige estratégia. O mais é o conhecimento utilizado para o planejamento e elaboração de tudo o que é postado.

Rosana Rocha, sócia-proprietária da agência de 2 Design e Comunicação,  afirma que, ainda hoje, muitos empresários fazem uma confusão muito grande sobre o uso eficiente das redes sociais e que, muitas vezes, não sabem identificar as diferenças e propósitos de um perfil ou página empresarial, por exemplo. “Em todas as redes sociais, é comum observar empresários que acabam misturando o pessoal com o profissional e esse é um grave erro que pode impactar diretamente na imagem da empresa. Além disso, também é importante considerar que cada rede tem sua característica própria”, explica.

Rosana ainda destaca que é preciso ter a consciência de que todas as redes sociais são negócios e de que elas funcionam por meio de algoritmos de pesquisa. Assim, para uma boa gestão de uma rede social é preciso conhecer e entender quais são os objetivos desse sistema. Segundo ela, o gerenciamento de páginas profissionais de forma “caseira”, ou seja, sem um suporte profissional, pode não trazer resultados e ainda prejudicar o negócio.  Por exemplo, no ano de 2017, o Facebook mudou seu algoritmo diversas vezes para priorizar os relacionamentos pessoais. Com isso, para ter um maior alcance, atualmente as empresas precisam pagar ao Facebook, impulsionando financeiramente suas publicações. “É preciso entender que as redes sociais também são empresas e reconhecê-las como ferramentas de seu negócio, investindo nelas. Nesse sentido, um planejamento estratégico elaborado por uma agência de comunicação especializada é essencial e deve considerar que os resultados não são imediatos. Conteúdos de interesse do público-alvo e investimento contínuo são fatores cruciais para um engajamento cada vez maior”, ressalta.

 

Diferentes redes, diferentes estratégias

A estratégia que uma empresa utiliza em uma rede social, mesmo que apresente bons resultados, certamente não irá obter o mesmo retorno se aplicada em outra rede. Por exemplo, não se pode utilizar o mesmo conteúdo no LinkedIn e no Facebook. No Facebook, as pessoas estão em busca de interações e relações sociais. Com base nisso, as empresas precisam procurar estratégias que fomentem a construção de relacionamento com a marca e, para alcançar esse objetivo, é preciso conhecer muito bem qual seu público-alvo. Já o LinkedIn também trata da construção de relacionamentos, mas no âmbito do trabalho. Os profissionais querem se lançar, mostrando suas qualificações, e as empresas estão presentes na rede para demonstrar suas qualidades e diferenciais, a fim de atrair talentos. Mediante a propósitos distintos, as estratégias de comunicação devem ser pensadas e planejadas de acordo com as particularidades de cada rede social.

Além de uma estratégia diferente em cada rede social, a linguagem também deve ser personalizada de acordo o público presente em cada rede. É fundamental ter uma estratégia muito clara e muito bem desenhada. “Deslumbradas com tantas facilidades, as pessoas nem percebem que é preciso ter foco ao usar as redes sociais. O público-alvo deve ser sempre o protagonista de um planejamento estratégico. Seus hábitos e costumes são aspectos a serem considerados na hora de definir em qual rede estar e qual estratégia usar. A rede certa é aquela em que seu público está”, aponta Rosana.

No entanto, Rosana ainda destaca que, mesmo quando bem desenhado, muitas vezes o público-alvo é pensado de forma muito genérica. “É preciso se aprofundar nos hábitos e gostos íntimos do público, pois a delimitação desses aspectos irá garantir uma assertividade maior no gerenciamento da comunicação nas redes sociais. Por isso, é preciso investir em muita pesquisa”, defende.

Sobre a 2 Design e Comunicação: agência de comunicação integrada, desde 2007 no mercado oferecendo solução em publicidade e propaganda, marketing, identidade visual, branding e comunicação digital, incluindo administração, geração de conteúdo e monitoramento de mídias digitais, funil de vendas e publicidade digital nos mais diversos canais.

Informações para Imprensa

* 2 Design e Comunicação

https://www.facebook.com/2designcomunicacao/

http://2design.com.br/

Sobre Rodrigo Carvalho

Mestre em Comunicação pela UNESP de Bauru. Jornalista graduado em Comunicação Social e pós-graduado em Gestão da Comunicação Mercadológica. Proprietário da Carvalho Assessoria – prestação de serviços em Assessoria de Comunicação Empresarial para diferentes segmentos corporativos. Assessor de Imprensa da AD Corretora de Seguros. Assessor de Comunicação da Andriotti & Castro Consultoria. Assessor de Imprensa dos eventos ‘Festieco’ (edições 2012 e 2013) e ‘Viva Bauru’ (edição 2012) organizados pela agência Projeto Cidade (Grupo Cidade). Assessor de Imprensa do projeto de Educação Ambiental ‘OLHAR VERDE’ (2013). Autor do livro Um Grande Sonho – Editora Paulinas.

Check Also

Verint é reconhecida como líder no Quadrante Mágico do Gartner na solução Workforce Engagement Management

Empresa é posicionada no quadrante de líderes pela 10ª vez consecutivamente A Verint® Systems Inc. …

Deixe uma resposta