sábado , 18 novembro 2017
Capa > Direito > Direito Tributário > A tributação do Dia das Mães

A tributação do Dia das Mães

Essa semana começa a difícil missão sobre o que dar de presente no Dia das Mães (11 de maio). Afinal, se para alguns o fato de presentear é um desafio, faze-lo para a mãe acaba sendo pior ainda, afinal a mulher que nos gerou merece algo muito especial.

Mais difícil que a simples escolha do presente é lidar com os preços dos mimos. Muitos deles acabam saindo caro graças à alta carga tributária que incidem. A justificativa é o fato de serem supérfluos e por isso, em muitos casos, a porcentagem de tributos chega a 50% do valor total do produto. Esse é o caso de joias, maquiagem, bolsa de couro e perfumes.

Nessa esfera, o IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação) listou alguns presentes comuns nessa data, bem como seu percentual de tributos inclusos no valor. Alguns deles surpreendem pelo alto índice de tributos inclusos no preço do produto.

Produtos / Carga tributária

Almoço ou jantar em restaurante – 32,31%

Aparelho MP3 ou iPOD – 49,45%

Bolsa – 39,95%

Bolsa de Couro – 41,52%

Bota – 36,17%

Buquê de Flores – 17,71%

Calça (tecido) – 34,67%

Calça de couro – 39,80%

Calça Jeans – 38,53%

Câmera fotográfica – 44,75%

Casa popular – 48,30%

Computador acima de R$ 3.000,00 – 33,62%

Computador até R$ 3.000,00 – 24,30%

Cosméticos – 54,88%

Hospedagem em hotel – 29,56%

Ingressos (tickets) – 40,85%

Jóias – 50,44%

Maquiagem nacional – 51,04%

Maquiagem Importada – 69,04%

Óculos de sol – 44,18%

Perfume importado – 78,43%

Perfume nacional – 69,13%

Telefone celular – 33,08%

Televisor – 44,94%

 

 Lei de Olho no Imposto

Em vigor desde o ano passado, a Lei nº 12.741/12, conhecida como Lei de Olho no Imposto, deixará sujeita a penalidades empresas que não informarem ao consumidor final na nota fiscal a carga tributária incidente nos produtos. A partir do dia 08 de junho, as empresas que não informarem isso, já estarão sujeitas à fiscalização do Procon.

Cabe salientar que a Studio Fiscal apoia a iniciativa, não só pelo caráter de transparência tributária, mas para tornar evidente se as empresas contribuem corretamente. Nesse ponto, vale lembrar que um estudo da IBPT mostrou que 95% das empresas pagam tributos a maior, e consequentemente o consumidor final também.  Na prática, a Studio Fiscal constatou em casos de revisão tributária, uma média de recuperação de R$ 550 mil em créditos tributários por empresa.

Esse, portanto, é um dos principais pontos que a Studio Fiscal enquanto instituição procura sanar. Buscado sempre, através do planejamento tributário, auxiliar as empresas a recolher corretamente seus tributos, tornando-a competitiva, deixando para o administrador apenas a função de gerenciar seu negócio, sem ter que se preocupar com as armadilhas fiscais oferecidas pela nossa complexa legislação tributária.

Sobre StudioFiscal

A Studio Fiscal foi criada para atender as necessidades das empresas na área fiscal. A metodologia própria e o exclusivo trabalho técnico aprimorado ao longo de mais de 15 anos de experiência no mercado são o diferencial dos serviços que entrega em todo o país, aliando o toque artesanal com a mais alta tecnologia na execução de serviços de auditoria fiscal e planejamento tributário. A rede conta com mais de 800 empresas já atendidas e cerca de 80 unidades parceiras.

Check Also

Gartner alerta as organizações para que se concentrem nas maiores ameaças de segurança e não nas mais populares

Analistas apontam que não se deve deixar que ataques de grande visibilidade dominem os esforços …

Deixe uma resposta