terça-feira , 24 outubro 2017
Capa > Gestão > Gestão Pública > Antibioticos, agora só com receita: e as consequências disso?

Antibioticos, agora só com receita: e as consequências disso?

Foi publicada hoje a norma da Anvisa que regulamenta a venda de Antibióticos no País (veja mais clicando aqui).  Sob o pretexto de reduzir a auto-medicação e evitar o surgimento de novas bactérias e vírus mais resistentes a Anvisa criou um mecanismo do CAOS, pelo menos é a minha opinião.

Se o país tivesse farta oferta de mão-de-obra médica, se as consultas pelo SUS (Sistema Único de Saúde) fossem fáceis e rápidas e se houvesse como realizar exames de forma igualmente fácil e rápida, seria uma medida sem maiores consequências.

Entretanto é notada a falta de capacidade do SUS em atender a demanda atual, que já é reduzida pela tão perseguida “auto-medicação”, mas com a proibição da venda de antibióticos de forma livre, será criada uma nova demanda, o sistema que já é insuficiente terá um aumento na sua demanda de proporções ainda não conhecidas e talvez nem estimadas.

Um simples ato administrativo poderá, na minha opinião, expor a falência do SUS e sacrificar alguns milhares de vidas. Aparentemente a decisão tem um fundo corporativista da classe médica, talvez com a intenção de incrementar suas vendas.

Sim, consultas são vendas, mesmo os médicos do SUS recebem para atender, talvez não seja o justo, mas independente de qualquer aspecto de negócios, falamos de VIDAS, espero estar completamente enganado, mas não acredito nisso.

Creio que nem mesmo a rede privada tem condição de atender uma eventual “super demanda”, como há um prazo de 180 dias para adequação das farmácias o resultado real desta medida só será conhecido após esse prazo, mas minha expectativa é a pior possível e você, o que pensa?

Sei que em alguns países do primeiro mundo a auto-medicação não acontece porque lá o sistema funciona, há médicos disponíveis e de graça, além disso, em alguns países, como a Itália, por exemplo, os medicamentos são custeados pelo governo, assim não há realmente motivos para alguém fazer a bobagem de se auto-medicar.

Não estou defendendo a auto-medicação, porém, a medida adotada é, na minha opinião, como tentar erradicar o crack matando os usuários.

No Brasil a auto-medicação é uma questão de sobrevivência.

Aproveito para compartilhar algumas informações que coletei para escrever este artigo:

Bactéria da pneumonia multiplicou mortes pela gripe suína na Argentina – Cientistas recomendam que as pessoas se vacinem contra a bactéria de neumococo

As infecções com a bactéria da pneumonia multiplicaram as mortes pela gripe A durante 2009 na Argentina, segundo um estudo de cientistas argentinos e americanos publicado no domingo (25/10/2010), no jornal Clarín.

Leia na íntegra

Pneumonia

A pneumonia é uma doença que afeta cerca de 2,1 milhões de brasileiros todos os anos, segundo dados do DATASUS. Esta doença é a principal causa de internação hospitalar (mais de 960 mil casos por ano) e a quinta causa de morte no Brasil.

Leia na íntegra

Responda nossa enquete (abaixo) e dê sua opinião!

O que você acha que vai acontecer agora, com a proibição da venda de antibióticos sem receita?

View Results

Carregando ... Carregando ...

Divulgue esse artigo no Twitter: http://goo.gl/ZD0h

Autor: Rudinei R. Modezejewski

Sobre Rudinei Modezejewski

Consultor em propriedade intelectual a 15 anos, desde 1999 mantém o site www.e-marcas.com.br, fundador do Avctoris (www.avctoris.com) e Sócio-Diretor do E-Marcas. Atuou também como consultor em Marketing Jurídico, é colunista de diversos sites e blogs (Administradores, TuDiBão, Webinsider, Consultores entre outros), hard-user de internet e redes sociais (Twitter, Ning, Grupos de Discussão do Yahoo, etc...) e gestor do portal Direito & Negócios, empreendedor compulsivo.

Check Also

Jurimetria, muito além da estatística #DepartamentoasQuintas

Jurimetria é conhecida como sendo a aplicação de métodos quantitativos, em especial a estatística, ao …

Deixe uma resposta